quarta-feira, 7 de abril de 2010

Tapetemania

A oligarquia Sarney resolveu afrontar o regime democrático. Eles preferem um regime em que os seus desejos são ordens, em que os adversários não podem ganhar e que a alternância no poder não é para valer e serve apenas como retórica. Para eles, no regime ideal, as eleições são apenas para manter a família no poder. É a Sarneylândia, como disse o humorista João Gordo, em São Luis.

Quando Roseana sofreu a sua primeira grande derrota nas eleições para governador em 2006, Sarney imediatamente começou a tecer a teia que produziu a anomalia que foi a decisão do TSE. Foi aquele ontológico escore, não me canso de repetir, que, por 4 votos a 3, cassou o governador Jackson Lago e colocou a perdedora, sua filha, no governo, em clara afronta a Constituição Brasileira.

Sarney já havia conseguido no Amapá cassar o casal Capiberibe. Ela, Janete, deputada federal e ele, João, senador. E também lá os motivos foram pueris. Gostou demais e ficou viciado na vitória por meio do chamado “tapetão”.

Hoje esse “recurso” ao alcance da família é usado à vontade com prefeitos e deputados adversários. É muito mais fácil que vencer eleições. A coisa está tão arraigada que não podem mais viver sem o tal tapetam...

Agora querem repetir a dose para impedir que Flávio Dino tenha o apoio do PT e tornar real o maior pesadelo de Roseana e de José Sarney: enfrentar o deputado do PC do B em eleição para governador neste ano.

Compuseram uma história qualquer e partiram para constranger o presidente Lula e a direção nacional do partido dos trabalhadores com recursos sem consistência para tentar mudar o resultado da Convenção.

A desfaçatez é tamanha que seu próprio jornal, que publica coluna do jornalista Ilimar Franco de O Globo, coloca sob o título de “Possesso” que o senador José Sarney, em seu leito de hospital, aguardando cirurgia de um tumor benigno na boca, furioso com o resultado da Convenção que deu vitória a Flávio Dino, disparava freneticamente telefonemas para quem conseguisse achar, dizendo que não se conformava com o resultado, que sempre apoiou Lula e que aquilo era um desrespeito com ele.

Mandou Lobão e Temer falarem com Lula que o PMDB estava batendo tambores de guerra e que não aceitavam aquele resultado. Lula, tarimbado e cansado com a impertinência, apenas ouviu e nada prometeu. Naturalmente, em seguida Sarney acionou o seu grande amigo Zé Dirceu. E convenceu-o que eu, como candidato a senador, obrigava-os a conviver comigo, que não parava de falar mal de Lula e do PT em meu Blog e que, além disso, era eleitor do Serra. E Dirceu se apressou em postar nota em seu Blog, nesses termos, tentando influenciar a direção nacional, já que nada podia dizer de Flávio Dino, que está lá no parlamento defendendo o governo Lula todos os dias.

Respondi ao Zé Dirceu que primeiramente estava orgulhoso desse hipotético leitor do meu Blog e depois dizendo que aquelas opiniões só eram possíveis porque elegeram Sarney como único interlocutor no estado, pessoa que é conhecida por tentar queimar adversários junto ao poder federal. Que eu era do PSB, partido da base do Lula, que tinha Ciro Gomes como pré-candidato e se este não confirmasse a candidatura, o apoio a Dilma era questão fechada nacionalmente no partido e que eu votaria nela, assim como Flávio Dino, que abriria um novo palanque para a candidata, muito melhor e vencedor do que o da oligarquia. Disse-lhe ainda que respeitassem a vitória do Flávio na Convenção. Foi uma vitória limpa e transparente, como atestou e aprovou o observador da direção nacional presente a toda a convenção. E que não compreendia essa atitude de hostilizar correligionários que em momento algum descumpriram as diretrizes nacionais para coligações aprovadas em convenção nacional. Para atender Sarney estão prejudicando a candidata Dilma.

Na verdade, a atuação do PMDB é um jogo de faz de contas, pois na Bahia não retiram a candidatura do ex-ministro Gedel Lima, que vai enfrentar a reeleição de Jaques Wagner do PT. Só não vale no Maranhão? E o mesmo deve ocorrer ainda no Rio Grande do Sul e no Pará, onde PMDB e PT vão se confrontar. Repito: só no Maranhão não pode?

Porém, na última quarta-feira em Brasília, os dirigentes do partido, como em coro afinado, afirmavam que nada mudava e que a decisão do partido no Maranhão seria respeitada e que fizeram tudo o que podiam. O próprio Lula, acompanhado por Dilma, foi duas vezes ao Maranhão ajudar Roseana e que assim mesmo ela perdeu. Portanto, página encerrada, e Dino seria o candidato apoiado pelo PT. Temer também informava que apenas pediu a Lula que ele precisava conversar com Sarney, que estava muito zangado, mas que não tinha como se meter, já que nem do PT era e esse era assunto interno do partido. Todo mundo tirou o time de campo. O jogo estava jogado.

Roseana Sarney ficou tão abalada que no dia seguinte a derrota no PT viajou cedo para o Rio de Janeiro para conversar com Duda Mendonça. Ela o quer para ser o marqueteiro de sua campanha. Correu em busca do homem mágico, para ela o único capaz de contornar a terrível rejeição da família e resolver o seu problema maior, que é a recusa da maioria do povo do Maranhão em dar-lhe o voto. Duda vai ter que dançar o "rebolation" para livrá-la das conseqüências de todos os desmandos da família e da truculência desses tapetões tão rejeitados pelo povo maranhense.

Na verdade do que jeito que vai, nem Duda salva Roseana...

Enquanto isso o governo vai deixando desalento em todos os setores. As loucuras da área da Saúde estão matando maranhenses, principalmente crianças. A governadora, como sempre, não quer nem saber, embora o fato tenha virado escândalo nacional. E o pior, nesse caso, é que, logo que assumiu o governo, entrou na justiça para tomar o dinheiro conveniado com a prefeitura, adivinhem para quê? Exatamente para construir um hospital de referência, com muitos leitos de UTI neonatal. O hospital poderia já estar pronto, evitando, assim, essa calamidade inaceitável.

Quando o secretário falou que os números estavam errados, querendo se defender, levou uma forte reprimenda do jornalista Augusto Nunes, da Veja. O jornalista, revoltado, chamou a atenção de que não se tratava de números e sim de vidas humanas. Na região de Timon e Caxias, primeiro deixaram de mandar os recursos para a manutenção dos bem equipados hospitais da região e depois, quando a população voltou em massa a procurar os hospitais de Teresina, a Secretaria de Saúde, como conseqüência, cortou a indenização pelo SUS dos atendimentos feitos no Piauí, deixando maranhenses pobres da região sem ter opções de atendimento de saúde naquela área. As autoridades dos municípios maranhenses da região e as do Piauí até hoje não conseguiram resolver o problema, pois não há interesse na Secretaria de Saúde do Maranhão, que se recusa a tentar um acordo com as autoridades do vizinho estado.

E Roseana? Nem se mexe... A desorganização que ocorreu para a aplicação da vacina do H1N1 acabou por punir as pessoas que foram se vacinar. Perambulavam de Posto de Saúde em Posto de Saúde sem achar solução. E enquanto isso, o helicóptero alugado por dispensa de licitação por R$ 2 milhões, segundo o secretário, para atender emergências de atendimento, só é visto levando políticos para atos políticos no interior. Só a omissão explica!

E para concluir, registro aqui o esforço que eles despendem tentando intrigar a oposição uns contra os outros. Vão precisar fazer muito mais do que isso para ganhar eleições no Maranhão.
Tem que trabalhar. Propaganda não vai resolver...

6 comentários:

Bernardo disse...

Joaé Reinaldo, desculpe a informalidade, o seu texto "Tapetemania" traduz magistralmente o que acontece com o velho cacique, parece que ele domina tudo, em tudo ele consegue reverter em favorável a si, aquilo que estava adverso, faz do errado certo, do impossível possível, é como se fosse um grande mágico.
Agora o fato de ele não saber conviver com o jogo democrático, talvez deva-se pelo fato de ter vivido tantos anos a serviço da ditadura que acabou enraizando o gosto por impor as coisas, e não se permitindo aceitar a derrota.
Agora é a vez de impor a ele pelo sufragio universal do voto, aceitar a derrota.
José Reinaldo, você vai concorrer a que cargo eletivo nestas eleições?
Continue nesta linha, sempre trazendo as verdades que a gente não conhece a respeito dos Sarneys.

bernardo-crispim@bol.com.br

Anônimo disse...

Meu governador!
Estou passando apenas para reafirmar minha indubitável adimiração por vossa personalidade, sou fã de vossa coragem política e da hombridade com que aje. Sou apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco...um simples médico que acredita que a única distância que nos separa do eleitor é a mangueira do stetóscopio e munido dessa arma poderosíssima também tenho, eu e meu grupo, enfrentado leões na tentativa ainda solitária de mudar a realidade do meu município, a saber, DOM PEDRO. Nós acreditamos na mudança, na renovação que a chegada concienciosamente de Flavio Dino nos esperanceia. Eu e vossa exc. temos algums amigos em comum, líderes fundamentalmente importantes nesse processo de mudança que se avisinha, como o admiravel Dr TEMA, meu orientador político, meu padrinho e minha fonte de inspiração que por motivo de força ( sufocação ) maior está obrigado a nos assistir da arquibancada mas só eu sei como está seu coração, outra grande potência que comprou nossa camisa e está vestida nela, a maior liderança que temos nessa região, um colosso político, Dr Humbeto Coutinho, espirituoso, amigo e companheiro, amigo dos amigos....assim é classificado em nossa região.
Quero dizer a vc professor, também queremos nos unir a possibilidade real de um futuro diferente, sonho em representar Dino em Dom pedro, trabalho árdua e incanssavelmente para ser digno de receber a autorização do meu povo, para ser seu gestor, não para fazer desta uma profissão, mas para dar minha contribuição, para alavancar a saúde daqueles que sofrem tanto por que como médico que sou conheço a intimidade da deficiência.
Trabalho em Barra do Corda e exerço a função de cardiologista do municipio.
Fabrício Abraão
fabricio.6909@hotmail.com

favor....responda!

Anônimo disse...

caro zé reinaldo tavares, eu sou morador do municipio de tuntum, no qual vc terá muitos votos inclusive o meu, e digo a vc, que essa era de sarney ta pertinho de acabar de vez... ainda informo a vc que o nosso tema só está do lado do sarney pq foi puxado pelo beiço...mais ele é um grande homem e otimo politico...

vc foi o melhor governador pro maranhão e melhor ainda pra tuntum...ninguem em tuntum esqueceu de vc e do deputado flavio dino...vcs serão os nossos candidatos aqui de tuntum, nem se perodupe os nossos votos serão de vcs....

um abraço.....

leudy e josé disse...

CARO ZÉ REINALDO A ANGUSTIA DE TER VISTO O QUE FIZERAM COM O NOSSO VOTO ME FAZ DIZER QUE A GRANDE MAIORIA DO POVO DESSE ESTADO PRECISA DE HOMENS COMO O SR,O FLAVIO DINO O DUTRA SEM FALAR NO DR JACKSON ESSE PARA LAVAR A ALMA NÃO SÓ DELE MAS DE TODOS NÓS EU DISSE QUE NUNCA MAIS IRIA VOTAR MAS DIANTE DO SENÁRIO QUE SE ARMA EU COM MINHA INTUIÇÃO DE MARKETEIRA QUE SOU CONCORDO COM O VOCÊ NEM O DUDA.QUERO TER O PRAZER DE AJUDAR DERROTAR ROSENGANA E SUA CORJA MAIS UMA VEZ. EU AINDA DUVIDO QUE ELA TENHA CORAGEM DE SER CANDIDATA MAS SE TIVER QUE VENHA O POVO TE ESPERA GUERREIRA PREPARA O LOMBO QUE TACA E CERTA.

Fabricio disse...

É repudiante a imagem de José Sarney. É fato, que qualquer candidato que não seja a Roseana Sarney, ganhará as eleições. É preciso que se mostre ao Brasil, os mandos e desmandos de uma oligaquia formada.

No Maranhão nada presta: o sinal de internet não presta, de telefonia celular não presta, a educação é precárias (é um atentado a humanidade, ela, Roseana, não quer investir em educação pra ter um eleitorado ovelha), a saúde é um curral pra abate...

Precisamos, Reinaldo, de mudanças no Maranhão, os maranhenses não aguentam mais...

Anônimo disse...

Governador. Aqui, nas terras de Anchieta, o PMDB e o PT estarão em lados opostos. É que o MENTIROSO e CALUNIADOR do Quércia, capo do PMDB paulista, que apoiou o ex-PFL, seu ex-partido, de Kassab, ávido em querer voltar para o Senado, apoia o PSDB do Gengivão Serra e do Alckmin Opus Dei. E olha que o Michel Temer é deputado federal por aqui. Sabe quantos deputados federais o PMDB-SP tem? Só 2. Temer e Francisco Rossi, de Osasco, que já foi de tudo o queé partido. Ora, PSDB-DEM-PMDB X PT! No Maranhão não pode?