quarta-feira, 21 de outubro de 2009

No Ibope, Serra volta aos 41%; Dilma e Ciro seguem empatados, com 17% e 15, respectivamente

Na coluna de Mônica Bergamo, da Folha:
O PSDB encomendou pesquisa ao Ibope que mostra José Serra (PSDB) retornando ao patamar de 41%, contra 35% da pesquisa anterior feita pelo instituto, que mostrava o tucano em queda. No campo governista, uma oscilação simbólica: Dilma Rousseff (PT-RS), com 17% (tinha 15%), volta a aparecer na frente de Ciro Gomes, com 16% (tinha 17%). Marina Silva (PV-AC) tem 9%.

Ciro ironiza acordo governista e diz que PSB vai esperar 2010


Na Folha:
 Pré-candidato a presidente da República pelo PSB, o deputado federal Ciro Gomes (CE) foi irônico ontem ao comentar o acordo entre PT e PMDB em prol da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil). “Só espero que o PMDB entregue o que está prometendo. Espero também que os termos da aliança sejam confessáveis”, afirmou.


Ciro, que é um crítico do PMDB, admitiu que os diversos encontros partidários realizados por Dilma nos últimos dias fortalecem a candidatura da ministra, mas afirmou que isso não o preocupa.
“O PSB está ciente dessas movimentações. Nós também vamos cuidar de arrumar as nossas alianças”, disse.


Mas o momento, segundo afirmou o candidato, não é agora, e sim no ano que vem. Ciro deixou claro que ele e seu partido preferem primeiro esperar por uma definição mais exata do quadro eleitoral. Principalmente, de quem será o candidato da oposição -se o governador de São Paulo, José Serra (SP), ou de Minas Gerais, Aécio Neves (MG). Ciro vem dizendo que não gostaria de concorrer contra Aécio.
“Nosso tempo é março do ano que vem. Por enquanto, é gelo na veia”, afirmou.

Reunião


O PSB será o único partido da base do governo com o qual Dilma não fará reunião neste ano.
O próprio Ciro mantém-se em compasso de espera. Se seu espaço político ficar espremido entre a candidata petista e o candidato de oposição, cresce a pressão para que concorra ao governo de São Paulo, Estado para o qual já transferiu seu domicílio eleitoral.


Pelo menos por enquanto, o ex-ministro da Integração Nacional do governo Lula afirma que sua disposição é concorrer ao Palácio do Planalto. O fato de o PSB apoiar o governo federal, no entanto, é, segundo ele, um fato inibidor para que se movimente com mais liberdade no momento.

Acordo deve deixar Ciro fora da corrida pelo Planalto

Projeto para 2010, com apoio de Lula, seria concorrer à sucessão de Serra

De Marcelo de Moraes, Vera Rosa e João Domingos: Dentro do Palácio do Planalto já existe uma certeza - o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) não disputará a corrida presidencial contra a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT). Oficialmente, Ciro manterá a candidatura à Presidência até os primeiros meses do próximo ano, mas seu destino eleitoral já está definido e será a disputa pelo governo de São Paulo, com o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT.

A retirada da candidatura não será feita com antecedência por razões estratégicas. Primeiro, o próprio Lula quer esperar pela consolidação do nome de Dilma. A expectativa é de que as viagens da ministra, como a feita ao lado de Lula e de Ciro por cidades do Rio São Francisco, já comecem a produzir efeito, refletindo nas pesquisas eleitorais.

Além disso, o governo entende que a presença momentânea de Ciro como fator favorável, pois tem disputado intenção de voto nos mesmos segmentos que o governador de São Paulo, José Serra, (PSDB), principal pré-candidato da oposição. Ele também tem assumido o debate crítico contra o tucano, o que ajuda na campanha governista.

Comentário do Blog: Como se vê é grande a confusão. Nada está decidido, porque Lula só quer Dilma e ela custa a decolar.

Um comentário:

José Eduardo disse...

Serra precisa sair de cima de muro. Se não quer ser candidato, se tem medo de enfrentar o governo, que abra caminho para a candidatura Aécio Neves, que tem baixa rejeição e capacidade de surgir como um fato novo importante da disputa.